Independente de qual seja a cor ou a espécie escolhida, as flores sempre exercem um fascínio sobre as pessoas, especialmente entre as mulheres. Há séculos, elas têm o poder de provocar reações que mexem com o emocional de quem recebe e também de quem presenteia uma pessoa querida, com uma simples flor ou com um grande buquê. Usamos as flores para presentear uma mulher quando seu bebê nasce, quando queremos agradar as nossas mães, recebemos flores nas datas comemorativas mais românticas, decoramos nossas casas e ainda usamos as flores em várias outras ocasiões importantes. Com tanta presença, elas seguem em destaque, alegrando e perfumando ambientes e ocasiões especiais.

Para a psicóloga Taís Fittipaldi Bergstein, a flor é um dos presentes mais especiais que alguém pode receber. “As flores encantam tanto porque são um presente vivo, que, se não for cuidado, pode murchar e deixar de existir rapidamente. Entre o público feminino, este apelo sensibiliza ainda mais, já que elas são mais protetoras por natureza. Ao receber uma flor, a mulher fica tocada e assim, pode exercer um pouco desta sua função de cuidadora”, explica.


Taís acredita que, ao dar uma flor para alguém que amamos, estamos ajudando a preencher algumas das necessidades básicas das pessoas. “Todo ser humano tem necessidades básicas, como ser amado, reconhecido, respeitado, elogiado, livre e útil. Ao presentear com uma flor, estamos contribuindo com que estas necessidades de atenção e carinho sejam supridas. Um casal, por exemplo, deve cuidar para manter a relação em equilíbrio e dar e receber flores pode ser uma forma de demonstrar afeição”, acrescenta.

E este hábito de surpreender as pessoas com flores é bem antigo. “Durante o reinado da Rainha Vitória da Inglaterra (1837-1901), era muito comum utilizar as flores como forma secreta de comunicação, para expressar desejos e sentimentos. Na corte, dependendo da flor enviada, de sua cor, tamanho e aroma, havia um significado implícito. Quem recebia já sabia o que era proposto, se era sinal de paixão de algum admirador ou um convite especial. E a maneira como uma dama recebia a flor também oferecia uma resposta imediata. A mão direita significava sim e receber com a esquerda indicava não” conta Taís.

Sobre estas mensagens subentendidas, a psicóloga acha que uma “lenda” muito comum atualmente é, na verdade, uma grande bobagem. “Na nossa sociedade, as pessoas estão acostumadas a dizer que quando um marido ou namorado presenteia sua amada com flores significa que ele aprontou alguma coisa. Mas eu não acredito nisto. Prefiro crer que é um carinho de alguém apaixonado”


Fonte: Paraná Online

Compartilhe:Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInPin on PinterestTweet about this on TwitterEmail this to someone

Posts Relacionados