Parte dos esforços governamentais que tentam conciliar linhas de produção específicas com os anseios artísticos da população, a 13ª Exposição Mundial da Arte do Paisagismo foi inaugurada na sexta-feira passada na Província de Liaoning, nordeste da China, com uma participação de mais de 300 artistas provenientes de dentro e fora da China.

A exposição exibirá 20 dos jardins com melhor design do mundo, que foram selecionados entre 103 candidatos, informou a organização. Chris Bentley, da Nova Zelândia, apresenta neste evento sua obra “Wetland Waka”. “Um tema do meu jardim é a forma com que a água constitui uma parte essencial de todos os seres vivos”, disse Bentley. O jardim tem lagos e pantanais para recolher água da chuva, que é então canalizada ao ecossistema que o circunda. Depois de participar da abertura da Boffa China em Shanghai em 2010, Bentley acredita que seu design possui um grande potencial para reciclar água da chuva. A exposição vem em consonância com uma tentativa do governo de abrir para eventos artísticos mais livres mas sem realizar concreta abertura, propalando uma ilusão de sistema mais aberto.

As flores também desempenham um papel relevante nesta exposição, com 30 milhões delas em “Jardim sobre o Mar”, uma criação que aproveita as terras sanilizadas de praias e campos de camarões abandonados. O projeto levou dois anos para ser concluído, usando 20 milhões de metros cúbicos de areia e terra, bem como diversas tecnologias de dessalinização e à prova de vento, revelou Liao Huige, vice-diretor do projeto de construção do parque. A exposição é organizada pela Federação Internacional de Paisagistas e a Associação Internacional de Horticultores.

Fonte: Embaixada da China

Compartilhe:Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInPin on PinterestTweet about this on TwitterEmail this to someone

Posts Relacionados