“As Flores da Guerra” concorreu tanto ao Oscar e ao Globo de Ouro em 2012, sendo um dos filmes da Ásia que mais renderam boas críticas nos últimos anos. O filme utiliza como símbolo de paz flores, com uma das cenas deste reproduzindo uma famosa foto onde uma estudante encara sargentos do Exército do Partido Comunista Chinês e coloca dentro do canil do revólver que um destes sargentos aponta para ela uma flor. Essa atitude foi imitada por ativistas anti-guerra americanos na I Guerra do Vietnã e também em diversos países da antiga União Soviética (foto abaixo).

A história do filme gira em torno da invasão de tropas do exército imperial japonês a Nanquim (China) durante a 2ª Guerra Sino-Japonesa, onde cometeram um dos maiores genocídios da história da humanidade. Até hoje as informações são desencontradas, pois o governo japonês não reconhece tais acontecimentos, mas há relatos que a violência tenha durado cerca de seis semanas (até o início de fevereiro de 1938). Durante esse tempo, estima-se que mais de 300 mil pessoas, entre civis e militares chineses foram torturados e assassinados de maneira brutal e desumana. O dia 13 de dezembro, especificamente, é também conhecido como ‘Estupro de Nanquim’, pois diz-se que os soldados japoneses adentravam casas e colégios e retiravam mulheres e meninas à força afim de estuprá-las ou transformá-las em ‘escravas sexuais’.

O filme foi o mais caro da história do cinema Chinês e críticas excelentes, especialmente direcionadas a sua direção de arte e as atuações, que incluem o ator americano Christian Bale (“Batman: O Cavalheiro das Trevas”, “O Lutador”).

Fonte: China Radio Internacional. Disponível em: http://portuguese.cri.cn/693/2012/01/09/1s144640.htm.

Compartilhe:Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInPin on PinterestTweet about this on TwitterEmail this to someone

Posts Relacionados