A flor nacional da Coréia do Sul tem fortes ligações com sua história. Simbolizando imortalidade, a conhecida Rosa de Sharon vem sendo adorada por coreanos há séculos, desde os tempos mais remotos da civilização coreana. Conhecida na região como Mugunghwa, o império Chinês da antiguidade conhecia a região da Coréia como “o lugar onde a Mugunghwa cresce”. Sendo uma parte integrante da cultura coreana, fez todo o sentido adotar a flor como a planta nacional após a independência das terras da Coréia do Império Japonês, no século XIX. Com isso, foi inclusive incorporada ao hino coreano (“Rosa de Sharon, milhares de milhas de lindas montanhas e terra de rios!”).

Outro aspecto importante sobre a flor é que ela simboliza um dos fatos mais tristes da península coreana: a separação norte-sul, que deu origem à imensas desigualdades entre um lado e outro e forçou a separação – que persiste até os dias atuais – de milhares e milhares de famílias. A Coréia do Sul continuou adotando a Mugunghwa como sua flor nacional mas, a Coréia do Norte rejeitou a flor ao promover outra, presente nos jardins do palácio onde centralizam-se as decisões da ditadura comunista. Protestos que acontecem na Coréia do Sul contra as barreiras de encontros de famílias e contra a generalizada fome que amputa o lado norte geralmente são pontuadas pelas Rosas de Sharon.

Fonte: FlowerExpert

Compartilhe:Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInPin on PinterestTweet about this on TwitterEmail this to someone

Posts Relacionados